Auto Avaliação Institucional

Sistema Nacional de Avaliação do Ensino Superior

A Autoavaliação Institucional faz parte do Sistema Nacional de Avaliação do Ensino Superior (SINAES), que abrange todas as instituições de educação superior do país.

Atendendo aos dispositivos legais, Lei Federal nº 10.861 de 14 de abril de 2004, Portaria do MEC/INEP2051/2004 entre outros, a Autoavaliação Institucional é um processo permanente de construção e formação. Deve ser uma construção coletiva para o aperfeiçoamento das práticas pedagógicas. Visa, ainda, ao desenvolvimento de uma cultura avaliativa que atenda aos interesses da comunidade, respeitando-se os objetivos da avaliação formativa:

  • Produzir conhecimento.
  • Aumentar a consciência pedagógica e a capacidade profissional dos docentes e funcionários.
  • Fortalecer relações de cooperação entre os atores institucionais.
  • Prestar contas à sociedade.
  • Efetivar a vinculação da Instituição com a comunidade.

Comissão Própria de Avaliação

A Comissão Própria de Avaliação (CPA) da FIAP é o órgão responsável pela coordenação dos processos internos de avaliação da instituição, de sistematização e prestação de informações de acordo com os artigos 11 e 12 da Lei nº 10.861/2004.

O objetivo principal da CPA é estabelecer um canal direto de comunicação entre a comunidade (alunos, professores, pessoal técnico-administrativo e sociedade civil) e a instituição (em suas dimensões política, acadêmica e administrativa), visando à excelência na prestação dos serviços pela FIAP, em compromisso com o desenvolvimento do indivíduo e da sociedade.

COMPOSIÇÃO DA CPA

A CPA da FIAP é constituída por ato de seu Diretor Acadêmico e assegura a participação de todos os segmentos da comunidade universitária e da sociedade civil organizada.

A CPA está representada pelos seguintes membros:

  • Coordenador: Guilherme Estevão.
  • Representante(s) Docente(s): Claudio Carvajal / Carlos Coelho.
  • Representante(s) Discente(s): Bruna Luane Matos de Jesus / Henrique Nunes da Silva.
  • Representante(s) Técnico-administrativo(s): Adriana Opitz / Rodrigo Julio Alves de Almeida.
  • Representante(s) da Sociedade Civil Organizada: Roberto Wagner Bolina / Eliana Carla Rodrigues.

Histórico de Avaliações FIAP

Desde o seu segundo ano de funcionamento, a FIAP vem trabalhando em projetos internos de Avaliação Institucional, objetivando o acompanhamento de seus processos e a melhoria contínua da qualidade de seus produtos educacionais.

A Avaliação Institucional da FIAP baseia-se em indicadores próprios de cada área, sendo ela acadêmica ou administrativa. Alguns desses indicadores já estão sendo utilizados desde 2001.

A partir de 2004, a FIAP vem aprimorando as Diretrizes para a Avaliação das Instituições de Educação Superior, apoiada no SINAES, instituído pela Lei nº 10.861/2004.

A Avaliação Institucional é uma ferramenta indispensável para subsidiar o desenvolvimento das instituições de ensino superior no Brasil. A par das iniciativas governamentais de incentivo às avaliações de resultado, possibilidades concretas de revisão do papel social das organizações universitárias vêm sendo implementadas, enfatizando a importância das avaliações de processo e permitindo o exercício da autorreflexão institucional.

A partir das discussões realizadas entre os membros da CPA, consolidou-se a ideia de a avaliação institucional ser um processo dinâmico, crítico, contínuo e de reflexão interna sobre as ações da instituição em seu âmbito acadêmico e administrativo, cujo objetivo é o autoconhecimento; e das ferramentas utilizadas servirem como base para as tomadas de decisões, de modo a melhorar e diversificar suas atividades fins e aprofundar seu relacionamento com a sociedade.

Esse processo deve conter duas vertentes, uma qualitativa e outra quantitativa, respeitando-se as diferenças existentes entre as diversas áreas do saber.

A maior importância na reflexão dos resultados apurados pela CPA é a sua conexão com o Plano Pedagógico Institucional (PPI) e o Plano Pedagógico de Curso (PPC), trazendo dados sobre a questão de aceitação ou não dos alunos em relação ao ensino e à aprendizagem. Os coordenadores e os professores realizam reuniões pós-resultados da CPA para avaliar as eventuais maneiras de adequar o PPC aos quesitos apresentados na CPA.

Em dezembro de 2006, foi concluído o ciclo de avaliação institucional referente ao período 2004-2006. Em janeiro de 2007, foi implantado o novo ciclo para os anos 2007-2008. A Avaliação Institucional na FIAP pretende garantir, principalmente, o fiel cumprimento da sua missão e de seus princípios institucionais, qual seja a excelência no ensino, por meio do aperfeiçoamento constante da qualidade dos processos acadêmicos, nas suas múltiplas dimensões de ensino, pesquisa, extensão e gestão.

A opção por um novo modelo de avaliação, que respeite a cultura institucional e possa ser construído sistemática e continuamente com a participação da comunidade acadêmica, determina a abordagem teórico-metodológica que, mesmo pautada em processos analíticos quantitativos, não prescinde de uma visão crítico-reflexiva, desde a concepção até a finalização de cada etapa, por meio da análise contextualizada dos resultados apresentados.

Em vista disso, a FIAP procura construir uma avaliação que privilegie a transparência na condução das ações e enfatize o caráter ético/educativo da proposta; e realizar um trabalho que potencialize o processo avaliativo durante todo o seu curso e que estimule os envolvidos, viabilizando o crescimento pessoal e profissional, em particular, e institucional, em geral.

A conclusão da avaliação interna é precedida pela previsão da avaliação externa ou heteroavaliação. Nessa fase, a instituição contará com a participação de especialistas externos em avaliação institucional, que contribuirão substancialmente para o aprimoramento do processo.

Neste sentido, o Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (ENADE) possibilitou o aprimoramento qualitativo das atividades acadêmicas da instituição, pela experiência obtida com as visitas, para os cursos avaliados, de especialistas externos.

Essa dinâmica, que espalha sobre a instituição a imparcialidade sistemática e solidária do olhar externo, apropria-se do real existente, elucidando e ampliando o foco político-pedagógico-institucional, que permite a autorreflexão necessária, consubstanciada, através dos subsídios oriundos dos relatórios consolidados e emitidos por esses profissionais nas suas respectivas áreas de atuação, enriquecendo, com isso, o projeto pedagógico dos cursos.

A difusão é fundamental no processo de Avaliação Institucional da FIAP. Ao longo de sua implementação, os resultados das avaliações estarão à disposição da comunidade acadêmica e da sociedade, por meio de divulgações periódicas.

Depois de implementado o plano, a FIAP deverá promover o replanejamento do processo e dar início à reavaliação, com vistas à superação das dificuldades apresentadas e a transformação da realidade institucional, de acordo com as metas estabelecidas.

Plano de Avaliação Institucional

A Avaliação Institucional na FIAP é estruturada de modo a garantir a participação de todos os segmentos da comunidade universitária e da Sociedade Civil Organizada.

São realizadas avaliações semestrais entre alunos e professores; e o processo de avaliação se dá, em linhas gerais, pelas seguintes etapas:

  • Pesquisa com o corpo discente.
  • Pesquisa com o corpo docente.
  • Pesquisa com a equipe administrativa.
  • Reunião entre a CPA e os alunos (amostragem).
  • Reunião entre a CPA (coordenação), direção e alunos (amostragem).
  • Reunião entre a coordenação, direção e professores.
  • Reunião entre CPA (coordenação), direção e mantenedora.
  • Apresentações em sala dos resultados obtidos com os questionários de Avaliação.
  • Divulgação dos resultados para toda comunidade acadêmica e sociedade civil.