Trabalho dos sonhos: TCC pode ser o primeiro passo

23 de outubro de 2020
Compartilhe

Amanda Lacanna – Arquivo pessoal

 

A maioria dos universitários esperam e temem por um dia específico: a entrega do TCC. As especificações de cada trabalho costumam variar de acordo com a instituição de ensino ou o curso, mas, no geral, todos os alunos sofrem pela grande demanda de tempo e planejamento para se elaborar o trabalho de conclusão.

Exatamente por sua complexidade, o TCC pode ser um divisor de águas na carreira do estudante e abrir várias portas. Isto aconteceu com Amanda Lacanna, graduada em Sistemas de Informação e pós-graduada em Mobile Development pela FIAP, que hoje é Android Engineer no Spotify, em Londres, sendo responsável pelo desenvolvimento de aplicativos nativos para a plataforma Android .

Trabalhar em uma das cidades mais badaladas do mundo e, ainda por cima, em uma das empresas mais importantes do momento pode parecer um sonho impossível. Mas é exatamente o que está acontecendo com a Amanda, que conta como seu TCC a ajudou a trilhar o seu caminho até entrar no Spotify. Confira: 

Como você conquistou o posto de Android Engineer? 

Amanda: Foi logo após a entrega do meu TCC na FIAP. Em 2011, Android e iOS deram um boom e praticamente todos os projetos foram desenvolvidos para estas plataformas. Meu grupo escolheu desenvolver um cardápio para restaurantes em tablets Android. O projeto ficou bem legal, conseguimos entregar tudo e ainda rodamos ele em um restaurante de verdade. Eu gostei muito de todo o processo do nosso TCC, foi bem animador e logo em seguida apareceu a oportunidade de fazer um outro projeto para a empresa chamada KDT informática, onde eu iniciei minha carreira com desenvolvimento Android.   

Como ficou sabendo da vaga no Spotify? 

Amanda: Eu fiquei sabendo via LinkedIn. A recrutadora entrou em contato comigo perguntando se havia interesse em participar do processo seletivo. Acabei aceitandapenas por curiosidade de saber como era o processo.  

 Como foi sua trajetória até chegar na Inglaterra? 

Amanda: Eu iniciei minha carreira tendo muita oportunidade de aprendizado e, por ser a única desenvolvedora Android na empresa, precisei estudar bastante para poder  errar, acertar e aprender muito. Após isso, tive a possibilidade de trabalhar em um time um pouco maior e ter uma visão muito diferente do que tinha vivenciado até então. Ter pessoas com quem você pode discutir soluções e transferir conhecimento lhe ajuda a crescer muito 

Eu fiz um intercâmbio em San Diego  CA  por seis meses, quando decidi investir um pouco mais pesado no meu inglês. Foi uma experiência incrível tanto no sentido de vivência cultural quanto no aprendizado da língua. Logo que voltei do intercâmbio, tive a oportunidade de aprender um pouco mais sobre desenvolvimento de produtos no geral. Focar em um único produto aumentou meu conhecimento e preocupação com a qualidade do software. Após isso, finalmente consegui minha primeira oportunidade fora do Brasil, pela Cookpad. E agora, no Spotify tem sido um primeiro mês cheio de aprendizados, muita informação, motivação, network e uma estrutura totalmente diferente do que eu já trabalhei. 

Como é trabalhar em uma das empresas mais inovadoras do mundo? 

Amanda: Acredito que a palavra que melhor descreve é “Inspiração”. Fazer parte de um time cheio de pessoas talentosas e trabalhar em um produto que sempre admirei é uma sensação incrível. Spotify sempre me chamou a atenção como empresa, por seus valores e sua missão. Poder fazer parte disso, trazendo inovação no mundo de música e áudio no geral, me motiva bastante. 

Enfrentou barreiras por ser uma mulher na área de tecnologia? 

Amanda: Infelizmente sim, desde de ser a única mulher a me formar na minha sala até muitas vezes ter o salário inferior e precisar  me “impor” ou mostrar muito mais o meu trabalho do que alguns homens.  Mas, felizmente, sempre trabalhei em times onde havia muito respeito e pessoas me incentivando a todo momento. 

O que acredita que a ajudou a chegar onde está agora? 

Amanda: Estudar sempre! TI é uma área que muda constantemente e se manter atualizado requer muita dedicação. Acredito que investir no inglês também foi uma das melhores decisões que tomei.  

Desde 2013 o Centro Universitário FIAP trocou o modelo tradicional de TCC pelo Startup One, no qual os formandos da graduação e do MBA criam sua própria startup, colocando em prática várias soluções aplicando o conhecimento técnico de cada curso. Os dez melhores planos de negócio de cada segmento  são apresentadas para uma banca composta por empresários, investidores e parceiros das áreas de tecnologia, inovação e negócios. Os participantes da startup que mais se destacarem em cada temporada vão para Boston com a FIAP, participar do The Entrepreneurship Program, da Babson College, uma das melhores escolas de empreendedorismo do mundo. 

 

Por: Giulia Andrade