Mercado de trabalho x formação profissional: é necessário ir além

4 de dezembro de 2020
Compartilhe

 É necessário “abrir o leque” e ir além da sua área de atuação para conseguir acompanhar as demandas.

O mercado de trabalho está cada vez mais competitivo e exigente. Com o passar do tempo e o avanço da tecnologia, mais pessoas tiveram a oportunidade de se capacitar em vários níveis. Neste cenário que requer profissionais sempre atualizados, ter apenas o diploma de ensino superior pode acabar não sendo o suficiente. É importante estar alinhado às novas tendências e preparado para oferecer visões estratégicas e proativas. 

 O mundo corporativo está exigindo mais do que o domínio de conhecimentos técnicos, pois também está buscando por pessoas que tenham competências emocionais e comportamentais. É necessário “abrir o leque” e ir além da sua área de atuação, ampliando conhecimentos, descobrindo novas habilidades e aprimorando competências que já possui para criar mais possibilidades de sucesso na carreira. 

 Uma forma de agregar novas competências ao currículo é investindo em cursos de atualização, que permitem ao aluno estar a par de novos conceitos e ideias do mercado e do mundo. As mudanças estão ocorrendo de forma acelerada, então é importante se manter atualizado para conseguir acompanhar as demandas. A internet possibilitou a realização destes estudos de forma on-line, existindo cursos para todos os bolsos – desde os grátis até os mais caros.  

Conhecidos também como “cursos livres” ou “de curta duração”, são oferecidos por diversas universidades e empresas. Apesar de ser visto como um “algo a mais”, é totalmente possível conciliar estes cursos com uma graduação ou  uma pós. Não é necessário esperar para buscar novas tendências. 

 No Centro Universitário FIAP, existem os Nano Courses, onde os alunos que estão na graduação ou no MBA podem escolher cursos que podem ser feitos até dois anos após sua formação. São diversas opções, todas on-line e de curta duração, com certificado oficial, nas áreas de Negócio, Desenvolvimento, Segurança, Ciência de Dados, Marketing, Inovação, Design ou Tecnologia.  

 Ser um Engenheiro de Software que entende de marketing digital, um Cientista de Dados que domina inteligência artificial ou um desenvolvedor que usa design thinking em seus projetos é traçar o caminho para ir além do esperado e se tornar um profissional único no mercado. 

Por: Giulia Andrade