Cursos tecnólogos e certificações: como entrar no mercado de T.I

14 de dezembro de 2020
Compartilhe

As certificações podem ser uma boa estratégia para impulsionar os alunos dos cursos tecnólogos para o mercado de trabalho. Elas são uma forma de comprovar que os profissionais têm conhecimento sobre determinada tecnologia, área específica ou metodologia

Quando o assunto é curso superior, uma das dúvidas que surgem é sobre a diferença entre um bacharel e um tecnólogo. Afinal de contas, há o questionamento de como um curso tecnólogo pode ter a metade da duração de um bacharelado e os dois serem considerados de nível superior

Isso é possível, pois a graduação tecnóloga é um curso superior voltado para o mercado de trabalho. São mais práticos e realizam muitos projetos em laboratórios que simulam problemas reais, para que se alcance uma formação específica. Eles são mais curtos (entre dois e três anos de duração), pois focam somente em determinado campo do saber.

Já o bacharelado tem duração maior, entre quatro e seis anos. São cursos que fornecem a base científica de uma área de conhecimento, habilitam o portador do título a exercer uma profissão de nível superior, pesquisa científica e também fornecem uma visão ampla e generalista.

Apesar de existirem profissões como engenharia, arquitetura, medicina e direito, que são executadas apenas através de um bacharel, há áreas onde é possível ver o crescimento dos cursos tecnólogos. Por exemplo, a área de TI, que tem uma demanda reprimida por profissionais com um alto nível de especialização, e oferece uma ampla gama de cursos tecnólogos com foco em determinadas áreas, tais como Jogos Digitais, Redes de Computadores, Análise e Desenvolvimento de Sistemas, Inteligência Artificial ou Computação em Nuvem.

É interessante que os alunos que se preparam para serem tecnólogos tenham algo a mais que facilite sua entrada no mercado de trabalho. As certificações podem ser uma boa estratégia, principalmente na área de T.I. Elas servem para comprovar que os profissionais têm conhecimento sobre determinada tecnologia, área específica ou metodologia. Em geral, elas são oferecidas por empresas que detém e criam produtos para o mercado, tais como Microsoft, Oracle, IBM, Cisco etc.

Atualmente, existem muitas certificações em TI disponíveis e os profissionais podem consegui-las por conta própria, estudando e fazendo os exames oferecidos por determinadas e específicas instituições. As certificações profissionais não substituem os cursos superiores, mas habilitam o estudante a dominar uma tecnologia específica.

No Centro Universitário FIAP, por exemplo, todos os cursos tecnólogos têm um certificado para cada semestre concluído. A cada seis meses, os alunos realizam uma prova de certificação, que são dotadas de um selo: bronze, prata ou ouro, que varia de acordo com o nível de aproveitamento deles no curso. Algumas das certificações oferecidas pela faculdade são: “Qualificação Profissional em Roteirização e Animação Digital para Jogos Digitais”; “Desenvolvimento de Apps Mobile Android e iOS” e “Qualificação Profissional em Administração de Banco de Dados e Analista de BI”.

Por: Giulia Andrade