Como escolher um curso de engenharia na área de T.I

9 de fevereiro de 2021
Compartilhe

As engenharias se entrelaçam em diversos pontos e, por serem similares, podem deixar futuros engenheiros em dúvida sobre qual habilitação escolher.

Ser engenheiro é ser responsável por criar projetos, processos, equipamentos e soluções resolvendo problemas da nossa sociedade. A Engenharia é uma área bastante abrangente e engloba uma série de ramos mais especializados, que vão desde saúde e construção até indústria e serviços, transformando o conhecimento científico em tecnologia. No Brasil, existem mais de vinte habilitações na área.   

Não é difícil encontrar cursos que formem engenheiros especializados na área da T.I. A Engenharia de Computação, por exemplo, é o ramo da engenharia que aplica os conhecimentos da tecnologia para desenvolver soluções programáveis. Um caixa eletrônico, uma maquininha de cartões, um robô, um smartwatch e um celular são exemplos de produtos da engenharia de computação. O engenheiro de computação entende tanto de hardware quanto de software desenvolvendo equipamentos e serviços otimizados.   

Já a Engenharia Mecatrônica combina sistemas, mecânica, eletrônica e computação para projetar e desenvolver máquinas eletromecânicas e está fortemente ligada à automação industrial. Contudo, os carros autônomos, as colheitadeiras agrícolas automáticas também são projetos desta engenharia. Como muitas profissões atuais, as engenharias se entrelaçam em diversos pontos e, por serem similares, deixam futuros engenheiros em dúvida sobre qual habilitação escolher. Uma forma de separar a Engenharia de Computação da Mecatrônica é entender se o candidato tem maior afinidade com computadores e celulares (Engenharia de Computação) ou com robótica e automação (mecatrônica).   

Em comum, todas as graduações em engenharia possuem uma forte base de matemática e física. É uma profissão que exige grande capacidade de observação, atualização constante e capacidade de trabalhar em equipe. Além do diploma de bacharel, é necessário obter um registro junto ao CREA (Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia) para exercer o cargo de engenheiro. 

  De acordo com John Paul Lima, coordenador acadêmico dos cursos de engenharia do Centro Universitário FIAP, é preciso pensar nos exemplos concretos na hora de escolher a especialidade em engenharia. “A decisão vem a partir da pergunta ‘O que eu quero criar?’, se a resposta for drones e robôs, cogite a Mecatrônica. Agora, se tiver em mente produtos como uma assistente virtual ou que envolvam Realidade Virtual ou Aumentada, por exemplo, a Engenharia de Computação é a mais apropriada”, afirma o coordenador.   

A demanda por engenheiros e profissionais de T.I está em alta e em constante crescimento. O mercado de trabalho destas áreas é versátil e abrange vários setores da indústria. O primeiro passo para ser um engenheiro é ponderar as opções disponíveis, escolhendo o que mais faça sentido de acordo com o plano de carreira de cada indivíduo.  

Por: Giulia Andrade