Vagas em T.I: mercado que mais cresce no mundo necessita de mão de obra qualificada

16 de setembro de 2021
Compartilhe

Mesmo com a grande quantidade de profissionais que almejam entrar no mercado de TI, a quantidade de vagas abertas ainda é maior do que a mão de obra capacitada

Não é novidade dizer que o mercado de T.I está em ascensão e é o que mais cresce no mundo. Nos próximos três anos, centenas de milhares de vagas serão abertas nesta área, afirma o Banco Mundial. Ao escolher uma carreira em tecnologia, é importante considerar os desafios e as mudanças de cenário neste setor. “A tecnologia muda a cada semestre, o profissional tem que se manter atualizado, em constante movimento de aprendizagem”, pontua o coordenador acadêmico Agesandro Scarpioni, do Centro Universitário FIAP.  

Existem vários caminhos para entrar no mercado de tecnologia. Uma opção é o bacharel de Sistemas de Informação, que transita entre vários setores da área que envolve desde a gestão de T.I até a disponibilidade de dados. Seu objetivo é formar profissionais capazes de administrar e disponibilizar, para o cliente externo ou interno de uma organização, o fluxo de informações geradas e distribuídas por redes de computadores.    

Uma outra alternativa é se qualificar como engenheiro especializado na área da T.I. AEngenharia de Computação, por exemplo, é o ramo da engenharia que aplica os conhecimentos da tecnologia para desenvolver soluções programáveis. Já aEngenharia Mecatrônica combina sistemas, mecânica, eletrônica e computação para projetar e desenvolver máquinas eletromecânicas e está fortemente ligada à automação industrial. Enquanto a Engenharia de Computação tem maior afinidade com computadores e celulares, a Mecatrônica tem com robótica e automação.  

Contudo, não é necessário se prender apenas  às opções oferecidas pelo mercado de trabalho em empresas. Nos últimos anos, a ideia de empreender se tornou muito atrelada à criação de startups, que é um modelo de negócio inovador, escalável e repetível com o objetivo de desenvolver soluções em um cenário de incertezas. Em 2013, O Centro Universitário FIAP substituiu o TCC tradicional pelo Startup One, no qual alunos que estão no último ano desenvolvem uma startup como projeto final do curso. Após a conclusão, é totalmente possível que os alunos deem continuidade em seus empreendimentos, mantendo-os ativos.  

Raphael Pawlik, graduado emSistemas de Informação pela FIAP, fundou em 2014, junto com seu amigo Fabio Carneiro, aPromobit: plataforma colaborativa que reúne oportunidades de compras com descontos e melhores ofertas. Em 12 de maio de 2021, a Méliuz, empresa conhecida pelos serviços de cashback, anunciou a compra de 100% do capital social da Promobit. A aquisição foi de 13 milhões de reais, além da possibilidade de os vendedores receberem um adicional de acordo com o cumprimento de algumas metas operacionais. Outro exemplo é do aluno de Engenharia da Computação, Vinicius Mesel, que também vendeu suas startups, para o grupo americano Exponential Ventures, em agosto deste ano.  

Trabalhar na área de T.I é ao mesmo tempo convidativo e  estimulante pois, apesar de muitas pessoas almejarem entrar neste mercado, a quantidade de vagas abertas ainda é maior do que a mão de obra capacitada para tais serviços. Seja fazendo graduação, MBA, cursos livres, cursos de transição de carreira ou até mesmo planejando criar um empreendimento, T.I está preparado para receber novos profissionais e novas ideias. Mas para trilhar este caminho com sucesso, é preciso  estudo e capacitação.  O Centro Universitário está com as inscrições para o vestibular abertas até 23 de setembro.

 

Por: Giulia Andrade

Nosso site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.

Prosseguir